gtag('config', 'AW-744083149');

Blog

Saúde sempre em primeiro lugar

  • Dr Antonello

Gestação de alto risco: entenda o que é gravidez ectópica

A mortalidade materna é uma situação que ainda continua muito elevada no Brasil, incompatível com o atual nível de desenvolvimento econômico e social do País. A maioria das mortes e complicações que surgem durante a gravidez, no parto e após o nascimento são previsíveis, quando há um acompanhamento ativo com médicos ginecologistas. Porém, há algumas condições que ocorrem antes mesmo da mãe descobrir que está grávida e podem ser fatais para a mulher, como a gravidez ectópica.


A gravidez ectópica é a condição denominada quando a gestação ocorre fora do útero, caracterizando pela implantação do óvulo em qualquer outro lugar do sistema reprodutivo feminino, como: nas trompas, ovários, peritônio, cérvice ou ligamento largo. Essa condição é responsável por 10% de todas as mortes relacionadas ao período gestacional.







A gravidez tubária, ou seja, nas trompas, responde por 95% dos casos. Uma das principais causas desse tipo de gravidez ectópica são os danos nas trompas de Falópio, isso ocorre quando um óvulo fertilizado pode fica estacionado em uma área danificada de uma tuba e começar a crescer lá. A imagem abaixo demonstra isso, explicando como ocorre essa condição.


A gravidez ovariana, por exemplo, representa 0,15% dos casos de gravidez ectópica, ocorre quando a fecundação se dá antes da expulsão ovariana do óvulo ou quando o óvulo é abortado para cavidade abdominal e se fixa no ovário. E, nessa situação, pode ser realizado tratamento clínico ou cirúrgico para a remoção parcial ou total do ovário. Já a imagem abaixo representa os principais tipos de gravidez ectópica, mostrando como o feto pode se desenvolver em outras partes do sistema reprodutivo da mulher:



Essa enfermidade ocorre em:

- Idade entre 25 e 34 anos

- Pacientes que já tiveram doenças sexualmente transmissíveis, especialmente Chlamydia

- Pacientes com antecedente de laqueadura ou reconstrução tubária

- possuam antecedentes de infecção pélvica

- usuárias de DIU

- pacientes que fizeram tratamento de infertilidade

- pacientes com endometriose.

Os principais sintomas são:

- a dor e o sangramento vaginal, que em quase todos os casos estão presentes.

- o sangramento pode ser de pequena quantidade e irregular, às vezes após pequeno atraso da menstruação.

Antigamente, o tratamento se dava somente por cirurgias, hoje dependendo das situações, é possível realizar tratamento clínico. Porém a principal indicação ainda é o tratamento que utiliza a cirurgia laparoscópica como técnica.

FONTE:

http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/obstetricia/gravidez_ectopica.pdf

FRÓIS, André Cançado et al. Tratamento da gravidez ectópica: revisão de literatura. Rev Med Minas Gerais, v. 20, n. 4, p. 11-4, 2010.

Av. Dr. Maurício Cardoso, 931

Sala 11 - Hamburgo Velho,

Novo Hamburgo - RS​ 

Receba nossos conteúdos

Todos os direitos reservados | CICON VS - CNPJ:  140.590.120/0001 - 04

Agende sua consulta!

(51) 3239.0870
(51) 3239.0871
(51) 99333.2198
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram