QUEM SOMOS?

Clínica de cirurgias gerais e oncológicas com médicos especializados em cirurgias de baixa, média e alta complexidade.
Realiza tratamento de hérnias, doenças do aparelho digestivo e procedimentos oncológicos.

INFORMAÇÕES DE CONTATO
  • Endereço: Av. Dr. Maurício Cardoso, 931 – Sala 11,
    Centro Arcobaleno, Hamburgo Velho - Novo Hamburgo - RS
  • Telefones: 51 3239.0870 / 3239.0871
  • WhatsApp: 99310.6562
51 3239.0870 / 3239.0871 / 99310.6562

Cigarro: Um vilão para o câncer de pâncreas

Cigarro: Um vilão para o câncer de pâncreas

O Pâncreas é uma glândula localizada na região superior do abdome, sendo um dos órgãos que integram o sistema digestivo. Possui duas importantes atividades: função endócrina, que é responsável pela produção de hormônios, como a insulina e a função exócrina, que é responsável pela produção de enzinas envolvidas na digestão dos alimentos.

O câncer de pâncreas é mais comum em pessoas acima de 50 anos. Segundo a União Internacional Contra o Câncer (UICC), os casos da doença aumentam com o avanço da idade, especialmente entre os 60 e 85 anos, tendo maior incidência em homens.

Os tumores mais comuns nesse órgão, são os adenocarcinomas, os quais se originam do tecido glandular e correspondem, aproximadamente, 90% dos casos diagnosticados.

De acordo com o Cirurgião Geral e Oncológico Dr. Carlos Antonello, o câncer de pâncreas possui alto índice de mortalidade, justamente por não apresentar sintomas evidentes no início da doença, resultando, em muitos casos, na descoberta numa fase mais avançada,e por ter geralmente um comportamento agressivo.

Além disso, o especialista frisa que os sintomas da doença dependem da região da glândula em que o tumor está localizado, os principais são:
• Perda de apetite
• Perda de Peso
• Fraqueza
• Diarreia
• Dor na região lombar
• Pele e olhos amarelados.

O diagnóstico dessa doença pode ser realizado por meio de exames de imagem. A confirmação da doença se dá pelo exame de biópsia do tecido do órgão. O único tratamento,até o momento,com finalidade curativa é a cirurgia, ou seja, a retirada da neoplasia. Além disso, pode-se utilizar a radioterapia e a quimioterapia, podendo auxiliar,tanto na preparação para o procedimento cirúrgico,como também para aumento na sobrevida.

Segundo Dr Carlos Antonello o cigarro é o maior vilão desta doença, fumantes possuem três vezes mais chances de desenvolver a doença do que não fumantes,importante salientar, o risco no fumante passivo. O consumo excessivo de gordura, carne vermelha, bebidas alcoólicas também são fatores que influenciam o surgimento da mesma.

Por fim, o médico afirma que somente uma vida com hábitos saudáveis, evitando tabagismo e excesso de bebidas alcoólicas, nutrição adequada, prática contínua de exercícios físicos, reduzem a incidência da doença.