QUEM SOMOS?

Clínica de cirurgias gerais e oncológicas com médicos especializados em cirurgias de baixa, média e alta complexidade.
Realiza tratamento de hérnias, doenças do aparelho digestivo e procedimentos oncológicos.

INFORMAÇÕES DE CONTATO
  • Endereço: Av. Dr. Maurício Cardoso, 931 – Sala 11,
    Centro Arcobaleno, Hamburgo Velho - Novo Hamburgo - RS
  • Telefones: 51 3239.0870 / 3239.0871
  • WhatsApp: 99310.6562
51 3239.0870 / 3239.0871 / 99310.6562

Alerta sobre o Câncer de Ovário

Alerta sobre o Câncer de Ovário

O Câncer de ovário está próximo de se tornar, a segunda neoplasia maligna mais comum, dos cânceres ginecológicos. Apresentando, anualmente, aumento de sua incidência.

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a cada quatro mulheres diagnosticadas com câncer no ovário, três apresentam estágio avançado. Isso acontece devido a doença ser assintomática ou apresentar sintomas discretos na sua fase inicial. Infelizmente, essa doença apresenta menor chance de cura, nesse estágio avançado.  A doença pode se manifestar em mulheres de qualquer faixa etária, mas cerca de 85 % dos casos se manifesta acima dos 50 anos.

Outro problema que temos com essa neoplasia, é que inexiste, até o momento, o benefício de realizarmos rastreamento populacional, a partir de determinada  idade, isto é,não temos um exame, que deva ser pedido a partir de certa idade. A investigação deve ser individualizada para cada paciente

 

Sintomas

 

Como é uma doença silenciosa, inicialmente não apresenta sintomas específicos. Porém, a medida que o tumor cresce, podem aparecer estes principais sintomas:

 

· Inchaço ou aumento do volume abdominal

· Dor pélvica ou abdominal

· Dificuldade para comer ou sensação rápida de saciedade

· Alterações urinárias e problemas intestinais

 

Esses sintomas nem sempre significam tumores de ovário, mas se persistirem por mais de duas semanas seguidas, é indicado procurar o médico de sua confiança para realizar o diagnóstico. Exames de imagem como a ecografia transvaginal, podem auxiliar na descoberta da doença, mostrando lesões ovarianas suspeitas. No entanto, é importante ficar sempre em alerta, pois o exame papanicolau (pré câncer) não detecta essa doença.

  

Tratamento

 

O tratamento dependerá do estágio da doença e situação clínica da paciente. Se a doença for detectada no início, é possível realizar o tratamento por meio de cirurgia minimamente invasiva. Porém, em casos mais avançados, o tratamento necessita cirurgia oncológica de grande porte,associado ao uso de quimioterapia. 


Conforme o cirurgião Dr. Carlos Antonello “É sempre importante levar em consideração fatores de risco que aumentam a incidência da doença,como história familiar de câncer de mama ou ovário, presença de endometriose, tabagismo,infertilidade,síndrome de ovário policístico, mulheres nuliparas (sem gestação) que apresentam maior risco de desenvolver a doença, e devem ter um cuidado especial”.

 

Prevenção


O especialista Dr. Antonello afirma que a alimentação rica em gordura trans pode também ser um fator de risco e que a pratica da atividade física rotineira, uso do anticoncepcional, maior número de gestações e maior período de amamentação  podem exercer fator protetivo.