QUEM SOMOS?

Clínica de cirurgias gerais e oncológicas com médicos especializados em cirurgias de baixa, média e alta complexidade.
Realiza tratamento de hérnias, doenças do aparelho digestivo e procedimentos oncológicos.

INFORMAÇÕES DE CONTATO
  • Endereço: Av. Dr. Maurício Cardoso, 931 – Sala 11,
    Centro Arcobaleno, Hamburgo Velho - Novo Hamburgo - RS
  • Telefones: 51 3239.0870 / 3239.0871
  • WhatsApp: 99310.6562
51 3239.0870 / 3239.0871 / 99310.6562

Apendicite é o nome dado para a inflamação do apêndice, quadro que se apresenta, habitualmente, como uma intensa dor do lado direito do abdome. A apendicite é em geral, uma emergência médica que necessita de tratamento cirúrgico. Se não tratada a tempo, há risco de rotura do apêndice e infecção generalizada.

Nossa equipe realiza a cirurgia de apêndice (apendicectomia) por laparoscopia (vídeo) e minilaparoscopia.

A vesícula é uma pequena bolsa localizada abaixo do fígado, sua principal função é armazenar a bile, um líquido produzido pelo próprio fígado que  tem cor amarela meio esverdeada, rico em colesterol, pigmentos e bicarbonato. A bile por sua vez é uma substância que auxilia na digestão das gorduras da alimentação.

O que é Colelitíase - Pedra na vesícula?
As pedras na vesícula, chamadas de colelitíase ou cálculo biliar, surgem quando ocorre um desequilíbrio entre a quantidade de água e as substâncias presentes na bile. A pedra pode surgir quando a quantidade de água retirada da vesícula biliar for excessiva ou quando a quantidade de substâncias na bile, como colesterol e pigmentos, estiver em quantidades exageradas, tornando-a saturada.

Problemas decorrentes devido a pedra na vesícula
A colecistite é a inflamação da vesícula biliar que ocorre normalmente após obstrução frequente da mesma por uma pedra. A vesícula obstruída fica mais suscetível a infecções e inflamações.
A pancreatite biliar, sua principal causa é a formação de cálculos biliares, caracteriza-se por um processo inflamatório intenso, que provoca aumento do pâncreas, devido ao edema local. O principal sintoma é dor abdominal intensa, quase sempre de início abrupto. Cerca de 20% dos casos, pode ser grave, havendo risco de vida.
A colelitíase é um importante fator de risco, para o câncer de vesícula biliar, na presença de cálculos grandes. Também pode proporcionar a migração dos cálculos para o colédoco, podendo ocasionar a colangite (infecção grave da via biliar) e obstrução biliar.
No entanto, nem todos os casos de pedra da vesícula biliar apresentam indicação cirúrgica.
Nossa equipe realiza a cirurgia da vesícula biliar (colecistectomia) por vídeo, inclusive com técnicas mais modernas como a minilaparoscopia.

Nossa equipe apresenta grande experiência em hérnias, realizando a correção de todos os tipos abaixo por laparoscopia (cirurgia por vídeo), inclusive por minilaparoscopia.

Tipos de Hérnia:
Epigástrica 
A Hérnia Epigástrica ocorre na linha média do abdome (Linha Alba). Quando é visível torna-se facilmente diagnosticável, não sendo necessários outros tipos de exames. Porém pode ser causa de dor no local sem outra manifestação clínica, na qual a avaliação do especialista é fundamental. A cirurgia é o procedimento indicado para tratar, pois não há fechamento espontâneo dessa hérnia.

Umbilical
Surge exatamente na região da cicatriz umbilical, onde uma alça intestinal pode atravessar esse defeito da parede abdominal, causando risco de vida ao paciente. Normalmente o sintoma inicial é dor local ao toque ou quando é feito algum esforço, porém ao longo do tempo pode surgir um abaulamento. Com o diagnóstico precoce é possível reduzir o conteúdo herniário, retornando para seu local natural. Se esse conteúdo estiver muito volumoso e com um anel herniário estreito, a hérnia umbilical pode se tornar irredutível, aumentando o desconforto e as dores. Esta situação é perigosa, pois pode acontecer o estrangulamento herniário.

Hiato - cirurgia do refluxo gastroesofágico
O refluxo gastroesofágico é um dos problemas mais comuns relacionados ao aparelho digestivo. Estima-se que cerca de 45% da população ocidental relate sintomas da doença, como queimação, dor ou regurgitação. A hérnia de hiato geralmente está associada a patologia, é mais comum em pessoas entre 40 e 65 anos, podendo também ser reconhecida em crianças. Alguns pacientes podem ter resolução dos sintomas com medidas alimentares e mudança no hábito de vida, porém, em alguns casos, pode ser necessário uso contínuo de medicações ou mesmo cirurgia antirrefluxo. A indicação cirúrgica ocorre na minoria dos casos, sendo a avaliação com o cirurgião especialista fundamental, para a não realização de uma cirurgia desnecessária.

Incisional / ventral
É uma hérnia causada pela fraqueza da parede abdominal anterior, em local de incisões abdominais prévias. Nesses locais ocorre a protuberância do conteúdo abdominal através do orifício herniário, causando dor local e apresentando risco de estrangulamento intestinal.

Inguinal
Atinge a virilha (zona de junção entre a coxa e a parte inferior do abdome) e corresponde a 80% dos registros da doença. Os homens são mais vulneráveis a esse tipo de hérnia e ainda sofrem o risco de terem a doença expandida para os testículos, desenvolvendo assim, a hérnia inguinoescrotal.

Femoral
A hérnia femoral é uma saliência localizada perto da virilha e da coxa que ocorre quando uma pequena parte do intestino empurra a parede do canal femoral. O canal femoral abriga a artéria femoral, veias pequenas e nervos e localiza-se logo abaixo do ligamento inguinal na virilha.
Existem 3 tipos principais de tumores malignos de pele: carcinoma basocelular, carcinoma epidermóide e melanoma. Todos estão relacionados com exposição excessiva ao sol sem a devida proteção (principalmente as queimaduras repetitivas quando jovem), pele clara, múltiplas pintas, histórico familiar e pessoal de tumores de pele. 
Algumas características principais sobre cada um deles devem ser salientadas:

Carcinoma Basocelular
É o tipo mais comum e menos agressivo, porém pode se apresentar como tumores grandes que invadem os tecidos vizinhos, necessitado de cirurgias com reconstrução no mesmo ato cirúrgico. Dificilmente gera metástases para outros órgãos. 

Carcinoma Epidermóide
Pode gerar metástases, principalmente em linfonodos (ínguas) e pulmões. Seu correto diagnóstico é essencial, pois cirurgias múltiplas podem ser necessárias para realizar um tratamento completo. Em casos avançados, a cirurgia pode ser complementada com quimioterapia e radioterapia.

Melanoma
Esse é um dos tumores mais agressivos dentre todos os tipos de câncer que existem (de qualquer parte do corpo além da pele). Merece muita atenção, pois tem um tratamento complexo e em etapas. No mundo, o Melanoma é o responsável por mais de 55 mil óbitos por ano. O Rio Grande do Sul possui uma das maiores incidências mundiais de Melanoma, ficando atrás somente da Austrália, América do Norte e Nova Zelândia. O tratamento do melanoma invasivo deve incluir, necessariamente, a ampliação de margens (retirar mais pele ao redor de onde iniciou o tumor), pesquisa de linfonodos (para garantir que não houve disseminação para as “ínguas”) e exames de rastreamento para excluir a metastatização para outros órgãos. 
Um profissional especializado é fundamental, pois os pilares para vencer o câncer são baseados em diagnóstico, tratamento e acompanhamento corretos.
A Cirurgia do Aparelho Digestivo consiste no tratamento das doenças do aparelho digestivo, que incluem todos os órgãos que participam do processo de digestão dos alimentos, são eles: esôfago, estômago, fígado, pâncreas, vesícula biliar, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.
Nossa equipe também está habilitada para operar casos de câncer nestes órgãos.
O CICON VS disponibiliza tratamento completo, seja na prevenção, no diagnóstico ou no tratamento de doenças malignas ginecológicas:
Câncer de útero (corpo)
Câncer de colo de útero
Câncer de ovário
Câncer de vagina
Câncer de vulva

A cirurgia oncológica é uma das opções para o tratamento do câncer, juntamente com a quimioterapia ou da radioterapia. A cirurgia oncológica é utilizada no diagnóstico, estadiamento e tratamento de quase todos os tumores sólidos. Atualmente, o enfoque multidisciplinar de tratamento - que envolve a associação de diversas modalidades terapêuticas - gera melhores resultados, em termos de cura, sobrevida e principalmente de qualidade de vida. A cirurgia oncológica deve ser realizada por um profissional habilitado, com residência/especialidade devidamente regulamentada pelo MEC, onde tem a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica como referência na busca desses profissionais.

Você pode encontrar cirurgiões oncológicos na sua região no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica. Clique aqui.

Cirurgia do baço (Esplenectomia)
Cirurgia para a retirada total ou de uma parte do baço, sendo que este órgão é responsável por produzir, armazenar e eliminar algumas substâncias do sangue e produzir anticorpos, evitando infecções.
Indicada em casos de doenças no sangue ou quando há doença no baço, como câncer. A cirurgia é feita por laparoscopia (vídeo).


Equipe CICON VS
Nossa equipe é formada por cirurgiões de diversas especialidades. Em caso de dúvida quanto a realização de algum procedimento, entre em contato conosco. 

Ao pesquisar o especialista para a realização do procedimento cirúrgico, certifique-se que o mesmo está habilitado pelo Conselho Federal de Medicina. O RQE é o registro de qualificação do profissional.